Guia de Adestramento de Cães Passo a Passo

Cane Corso

cane corso

Foto por PoulyLove – flickr

Um cão que já agradou gregos e troianos, ou melhor, neste caso seria romanos mesmo. O Cane Corso é um cachorro robusto, inteligente e majestoso. O seu currículo histórico o qualifica para desempenhar um bom papel, principalmente, como cão de guarda.

Confira a seguir tudo sobre as características dessa raça italiana, os cuidados com a saúde e detalhes importantes sobre a sua personalidade.

História e Origem da Raça

Há duas teorias sobre a origem do nome que complementa Cane (cão, em italiano). A primeira defende que “corso” vem da palavra grega kórtos, que significa curral, recinto ou cercado.

Enquanto a outra sustenta que o nome vem do latin “cohors”, que quer dizer guardião. Independente de qual delas esteja mais certa, é fato que ambas representam bem a principal característica desta raça: proteger o território.

A raça Cane Corso descende do canis pugnax, um cachorro molosso da época do Império Romano muito utilizado em batalhas e também para caça de animais maiores como cervos, ursos e javalis.

Alguns especialistas apontam o Mastim Napolitano como seu primo e parente mais próximo. Durante séculos, este grande canino foi um companheiro apreciado pelo povo italiano, frequentemente usado para proteger a propriedade, ajudar na caça e na pecuária e também para auto-defesa.

Com a industrialização e a modernização dos sistemas de agricultura e pecuária, além da diminuição do número de animais selvagens e aumento da utilização de armas de fogo (o que resultou em diferentes técnicas de caça), a população de cachorro Cane Corso sofreu uma drástica redução e quase foi extinta após a Segunda Guerra Mundial.

Por sorte, alguns apreciadores da raça, principalmente, das regiões de Basilicata, Campânia e Apúlia conseguiram reverter a situação e, atualmente, o animal tem se tornado cada vez mais popular mundo afora.

Características Físicas

Também conhecido como Mastim Italiano, o Corso tem uma estrutura corporal musculosa, resistente e apresenta membros robustos, que lhe garantem muita força. A cabeça é plana, larga e quadrada.

Possui uma camada de pele densa e uma pelagem curta, resistente e abundante. As cores mais comuns são preto, claro ou tons escuros de cinza, tons claros ou escuros de castanho, vermelho ou tigrado.

A raça é considerada de porte médio a grande. As fêmeas têm de 58 a 66 centímetros de altura na cernelha e pesam 42 kg, em média, enquanto os machos possuem de 62 a 70 cm de altura e 48 kg.

As orelhas de um Cane Corso são naturalmente caídas para frente. Antigamente, havia o costume de cortar as orelhas de forma triangular. No entanto, felizmente esta prática já é proibida em muitos países. Em geral, a expectativa de vida é de 11 anos.

Personalidade e Temperamento

Com DNA de um guerreiro do Império Romano, você pode imaginar que este canino robusto e musculoso não é flor que se cheire. Por conta disso, é muito importante um treinamento adequado desde cedo.

É um animal muito inteligente e considerado como de fácil treinamento, porém, não é indicado para principiantes, pois demanda uma liderança ativa e confiável.

As fêmeas são mais adequadas para aqueles que têm dificuldade em exercer autoridade. Por outro lado, os machos são a melhor opção para quem a guarda seja uma prioridade.

Em geral, os animais desta raça são muito equilibrados e seguros de si mesmos. Eles não têm o hábito de latir muito, mas estão sempre alertas quanto a presença de intrusos.

Segundo os especialistas, é um bom animal para famílias que possuem um grande espaço para se exercitarem, seja sítio, fazenda ou grande quintal. No entanto, vale lembrar que apenas com um bom treinamento é que conseguem aceitar melhor a presença de desconhecidos e de outros animais.

Alguns adestradores deixam bem claro: “Eles têm de compreender a diferença entre uma ameaça e uma pessoa convidada em seu espaço”.

Um cão da raça Cane Corso bem socializado, educado, hierarquizado e, especialmente, com um proprietário responsável, geralmente se torna um bom companheiro do ser humano.

Como todos os mastins, a socialização é um requerimento absolutamente requerido para desenvolver o temperamento correto e genuíno, que é ser protetor, mas de um jeito calmo, estável e discriminado.

Cane Corso Infografico

Cuidado com a saúde e o ambiente do Cane Corso

Em geral, os cães desta linhagem são muito saudáveis, mas como todas as raças podem desenvolver enfermidades genéticas.

Algumas das condições de saúde que têm sido mais constantes neste mastim são displasia coxofemural, problemas oculares (como entrópio ou ectrópio), sarna demodécica, e, como são animais grandes, também têm uma tendência para a torção gástrica. As fêmeas ainda podem apresentar hiperplasia vaginal.

O Corso italiano é um cão energético que precisa de atividade constante, seja lhe acompanhando em exercícios físicos diários ou em algum trabalho, como no pastoreio, por exemplo. Isso fará com que se mantenha saudável tanto na parte física como na mental.

Os cuidados com a pelagem são simples para este companheiro. Ele precisa de escovação ocasional. A pelagem bem tratada mantém o animal brilhoso e saudável. Suas unhas fortes devem ser aparadas regularmente com um cortador para evitar o crescimento excessivo e rachaduras. Também se recomenda uma atenção especial aos ouvidos e aos dentes.

Quanto custa um Cane Corso?

Está pensando em comprar um? O preço do Cane Corso está por volta de R$ 1.800.

Mas antes de comprar lembre-se de procurar se existe um para doação nos abrigos para cães abandonados! Têm muito cachorrinho de graça precisando de um lar.

Curiosidades da Raça

  • Cães de raça Cane Corso foram utilizados na Segunda Guerra Mundial para puxar carretas com medicamentos, armamentos e até mesmo carregar soldados feridos, além de atuar no exército italiano na frente de batalha.
  • Muitos famosos já se encantaram pela força e doçura do Cane Corso, entre eles estão o casal Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso, André Marques, Ronnie Von e Vin Diesel
  • O apresentador Fausto Silva é um dos responsáveis por disseminar a raça no Brasil, sendo considerado o primeiro a trazer um cão da linhagem para o país em 1997
  • Na Roma Antiga, homens da nobreza utilizavam este cão para a sua defesa pessoal e costumavam pendurar o dinheiro na coleira do seu guardião
  • Atualmente, o animal ocupa a 36˚ posição no ranking de popularidade do AKC (American Kennel Club)
  • No Brasil, apesar da exposição com os famosos, a raça ainda é pouco difundida. O principal motivo pode estar ligado ao fato de ter sido reconhecida pela FCI (Federação Internacional de Cinofilia) há poucas décadas, apenas em 1996