Guia de Adestramento de Cães Passo a Passo

Buldogue Campeiro

buldogue campeiro
Foto por André Lage – flickr

O Buldogue Campeiro, ou ainda buldogue pampeano, burdoga ou burdogue é uma raça brasileira que se originou do Cão de Fila da Terceira ou do cruzamento entre o Antigo Buldogue Inglês com raças locais – as teorias divergem.

Raça rústica, voltada para o trabalho pesado no campo, o Buldogue Campeiro ainda é um excelente cão de guarda e é muito fiel aos donos.

História da raça

Há duas teorias quanto às origens da raça criada aqui no Brasil.

A primeira teoria defende que o Buldogue Campeiro teria se originado do cruzamento entre Antigos Buldogues Ingleses (Old English Bulldog) – já extintos – e cães locais, enquanto que a segunda teoria defende que, na verdade, esta raça seria um remanescente puro do Cão de Fila da Terceira do tipo “Bull”, trazido para cá pelos portugueses.

Acredita-se que a primeira teoria seja a mais provável e que o atual Buldogue Campeiro ainda carrega as mesmas características do Antigo Buldogue Inglês, que possuía um perfil e atributos mais apropriados para o trabalho e que foram sendo perdidos com o tempo nos Buldogues Ingleses, porque criadores privilegiavam mais a estética do que tais traços funcionais, como força, resistência e agilidade.

O cachorro Bulldog Campeiro foi muito utilizado nos campos gaúchos, para controlar e capturar gado (contenção de gado) e também no Estado do Mato Grosso do Sul, onde desempenhava o papel de cão boiadeiro e trabalhava em matadouros.

Devido à regulamentação e imposição de leis e medidas sanitárias para matadouros, e também à popularização de outras raças de cachorro, o Buldogue Campeiro quase entrou em extinção durante os anos 70.

Foi graças a um cinófilo, Ralf Schein Bender, que a raça foi resgatada e aprimorada. A partir de 2001 ela foi reconhecida oficialmente pela CBKC (Confederação Brasileira de Cinofilia), mas ainda não é reconhecida pela FCI (Federação Cinológica Internacional).

Hoje, em canil especializado é possível encontrar o buldogue campeiro a venda por um preço na faixa de R$ 1.500.

Características físicas

Cão de porte médio e constituição robusta, o Buldogue Campeiro possui membros vigorosos e ossos sólidos. Sua altura (na cernelha) pode variar entre 48 e 58 cm. E o peso ideal dos machos varia entre 35 a 45 kg e das fêmeas, entre 30 e 40 kg.

A cabeça é larga e um pouco arredondada, com maxilares fortes e orelhas triangulares e caídas. Os olhos são ovalados e têm cores escuras.

Os lábios são grossos e pendentes. O focinho é curto e deve ser bem pigmentado. É ideal que a região dos olhos também seja bastante pigmentada. O pescoço é forte, nem muito comprido, nem muito curto.

O peito é largo e o dorso é reto, um pouco curto. A cauda é curta e torta. As pernas são musculosas e bastante resistentes. Uma curiosidade é que o Buldogue Campeiro é capaz de arrastar um boi de até 400 quilos.

A pelagem é curta e lisa, com textura média – nem muito áspera e nem muito macia – podendo apresentar diversas cores.

Buldogue campeiro

Personalidade

O Buldogue Campeiro é um cão rústico e versátil, dotado de espírito de luta. Muito fiéis e sociáveis, adoram a companhia de seus donos e costumam se dar muito bem com crianças. No entanto, podem sentir ciúmes e desconfiança diante de estranhos e outros cachorros. Ele é um cão que exige exclusividade.

Também é um ótimo cão de guarda, pois é corajoso e tem uma aparência intimidadora, além de latir somente quando é necessário, sem fazer tanto alarde quanto outras raças que latem por qualquer coisa.

Saúde da raça e cuidados

O Buldogue Campeiro pode viver até 12 anos de vida aproximadamente. E para mantê-lo bem e saudável por tantos anos, é importante tomar alguns cuidados básicos.

Por ser um cão rústico, ele não apresenta muitos problemas de saúde e é de fácil manutenção.

Porém, alguns indivíduos podem apresentar rugas em excesso na pele, que se não forem bem cuidadas acabam apresentando barbelas (dobras de pele sob o pescoço) e dermatites sérias. Por isso, é importante que haja sempre a verificação e limpeza da pele do cão. A pele solta também pode causar outro problema indesejável: prejudica a mordedura e faz com que o cão babe muito.

Doenças freqüentes em cães do grupo Molosso, como a displasia coxo-femural e a sarna demodécica, são menos comuns nos Buldogues Campeiros. E raramente apresentam problemas nas articulações. A presença de tumores e câncer nesta raça também é menos freqüente.

Exercícios físicos diários também são recomendados. O Buldogue Campeiro, além da resistência que possui, consegue respirar muito bem, e, desta forma, pode ser um bom companheiro para corridas, caminhadas e trilhas.

Alimentação: a quantidade de alimento a ser dada varia de acordo com o tamanho e idade do animal. Um buldogue campeiro filhote deve consumir de 90 a 340 g de ração de boa qualidade por dia. Já os adultos devem consumir de 270 a 350 g por dia. Para saber melhor sobre as quantidades, veja as instruções dadas pela marca da ração na embalagem.

Escovação dos pelos e banhos podem ser dados esporadicamente.

O lugar ideal para a raça viver

Muito dócil e não mais utilizado no trabalho de contenção de gado, a raça pode ser criada tanto em meios rurais quanto urbanos. Mas, vale lembrar, que o lugar ideal para a raça deve ter de preferência uma área grande como sítios, chácaras, ou até mesmo uma casa com quintal grande, pois devido às suas origens e histórico de cão trabalhador, é bom que ele disponha de um bom espaço para que possa gastar as suas energias.

O Buldogue Campeiro até pode ser criado em apartamento, desde que se faça passeios diários com ele.

A raça também é bastante resistente e consegue agüentar bem climas adversos.

Esse foi então o Buldogue Campeiro. Para quem tem interesse em aliar segurança e companheirismo para a família, esta raça pode ser realmente uma boa pedida. Se você ficou interessado, lembre-se sempre de procurar um criador idôneo!

Mais raças

Shih Tzu
Jack Russell Terrier
Schnauzer
Buldogue Inglês
Akita
Chow Chow
Sharpei
Yorkshire Terrier
Cane Corso
Chihuahua
Pequinês
Border Collie
Bichon Frisé
Malamute do Alasca
Beagle
Golden Retriever
Dogue Alemão
Basset Hound
Maltês
Lulu da Pomerânia
Pastor Belga
Boiadeiro de Berna
Buldogue Francês
Fox Paulistinha (Terrier Brasileiro)
West Highland White Terrier

PET SHOP