Guia de Adestramento de Cães Passo a Passo

Bichon Frisé

bichon frise
Foto por Al_HikesAZ – flickr

Alegre e carismático, esse é o cão “gente boa” que dá uma ótima companhia não só para os seus donos, mas também para quem mais estiver por perto. Ele ainda é muito inteligente e é uma boa raça para quem mora em apartamentos. Conheça mais sobre o Bichon Frisé aqui neste artigo.

História da raça

A origem exata do Bichon Frisé é incerta, mas acredita-se comumente que ele descende do Barbet – um cão de médio porte, lanoso e de água – e junto com o Coton de Tulear, o Bichon Havanês, o Maltês e o Bolonhês, foi desenvolvido no Mediterrâneo.

Os primeiros registros do Bichon datam do século XIV, quando navegantes franceses trouxeram a sua terra natal exemplares de Tenerife, umas das Ilhas Canárias. Pensa-se que cachorros desta raça foram levados por comerciantes que usavam a rota fenícia de comércio e que os Bichons foram desenvolvidos originalmente na Itália.

Porém, outros historiadores acreditam que espanhóis levaram a raça para Tenerife e que navegantes italianos a trouxeram de volta para a Europa ainda no século XIV. E só então quando os franceses invadiram a Itália é que os primeiros espécimes da raça teriam sido levados para território francês.

De qualquer forma, os Bichons eram muito populares entre a nobreza e faziam muito sucesso nas cortes reais. Porém, a partir do século XIX, com a queda da realeza, decaíram em sua popularidade. Se não fossem pelo seu temperamento e inteligência, provavelmente teriam sido extintos.

Depois da 1ª Guerra Mundial, o interesse pela preservação da raça Bichon Frisé cresceu e ela voltou a ser popular novamente. Em 1934, a raça foi então reconhecida pela Federação Cinológica Internacional (FCI). Em 1972 foi reconhecida pela American Kennel Club (AKC) e hoje em dia é 45ª raça mais popular nos EUA.

Aqui no Brasil o Bichon foi introduzido pela primeira vez em 1978 e o número de criadores da raça tem aumentado nos últimos anos, mas ainda é muito comum que as pessoas confundam o Bichon Frisé com os Poodles.

Características físicas

O Bichon Frisé é uma raça de pequeno porte, que não deve ultrapassar dos 30 cm de altura e pode pesar entre 7 a 12 kg. Vejamos as suas características corporais.

A cabeça em relação ao corpo é bem equilibrada. O crânio é plano ao toque – embora não pareça, devido à pelagem – e é mais longo que o focinho, que não deve ser muito grosso, nem pontudo e nem pesado.

A trufa, bem preta e brilhante, é arredondada. Os olhos também são escuros e redondos, sem serem saltados. As orelhas são finas, caídas e devem ser revestidas de pelos longos e frisados.

O pescoço é bastante longo, bem encaixado nos ombros. Sua medida equivale a 1/3 do tronco mais ou menos. O peito, bem desenvolvido, é bastante profundo. A linha superior do corpo é plana, tendo um ligeiro arqueamento muscular no lombo. A cauda é portada alta e curvada, mas sem ser enrolada.

As pernas também são bem proporcionais em relação ao corpo. Os membros anteriores são retos, sem curvatura no antebraço ou nos pulsos. Os posteriores são largos e angulados. As patas são pequenas, arredondadas como as de um gato e são viradas para frente.

A pelagem padrão reconhecida pela FCI é toda branca mas é possível que haja tons de creme, damasco ou camurça – mas normalmente essas cores não excedem 10% do corpo. Os pelos são finos, sedosos, bem soltos e encaracolados, possuindo comprimento variável entre 7 e 10 cm.

Bichon Frise Infografico

Personalidade

O Bichon é um cãozinho muito carismático, alegre e curioso. Adora ser o centro das atenções e adora uma boa companhia – frequentemente sofre de ansiedade de separação, então é bom que ele esteja sempre acompanhado de alguém.

Além disso, é muito inteligente e, por isso, aprende as coisas rápido. Ele se dá muito bem aprendendo truques e em alguns esportes caninos. Ensiná-lo boas maneiras desde filhote também é recomendado.

Saúde da raça e cuidados

Sem dúvida alguma, o ponto principal que deve ser considerado antes de se adotar um Bichon Frisé filhote é a questão dos pelos. Como esta é uma raça que possui duplo revestimento, os pelos da camada exterior ficam presos nos sub-pelos ao invés de caírem no chão. Caso esses pelos mortos não sejam removidos, eles acabam se emaranhando e podem causar problemas na pele do cachorro. Por isso a escovação diária e a tosa frequente dos pelos é essencial.

Outros cuidados incluem: aparação das unhas que devem ser feitas uma ou duas vezes por mês; escovação dos dentes pelo menos duas ou três vezes por semana; limpeza facial, principalmente ao redor dos olhos, pois o muco que sai dos olhos tende a se acumular nos pelos, que se não forem limpos podem causar problemas oculares no cão; verificação e limpeza das orelhas – algumas vezes sendo necessário fazer a aparação dos pelos que crescem no canal auditivo.

O Bichon Frisé ainda exige atividade física diária, pois é uma raça ativa. Como exercícios, inclua muitas brincadeiras e passeios regulares à rotina do cão. E nem pense em deixar um Bichon muito tempo sozinho em casa, pois ele costuma ter um comportamento destrutivo.

A alimentação: a quantia diária recomendada é de 1/2 a 1 1/2 xícara de ração de boa qualidade, dividida em duas refeições.

Problemas de saúde comuns na raça: alergias (a alimentos e/ou de contato), luxação patelar, displasia do quadril, catarata juvenil, problemas da bexiga e sensibilidade à vacinas.

O lugar ideal para o Bichon viver

Caso os donos prefiram que o cachorro fique limpo por mais tempo, e por consequência os seus pelos fiquem brancos por mais tempo, o ideal é que o Bichon viva dentro de casa.

Esta raça, devido ao seu pequeno porte também é ótima para se ter em um apartamento. No entanto, é bom lembrar que o Bichon apresenta um comportamento destrutivo se ficar muito tempo sozinho, então é sempre bom que tenha alguém por perto para lhe fazer companhia.

Curiosidades sobre a raça

  • O nome “Bichon” é derivado da palavra “barbichon”, do francês, que é o diminutivo da palavra “barbet”, cão-de-água;
  • A raça é hipoalergênica, o que quer dizer que ela pode ser uma boa pedida para os alérgicos de plantão;
  • No século XIX, Bichons eram utilizados como cães de entretenimento em circos;
  • Apesar de serem descendentes de cães d’água, os Bichons odeiam água.

Mais raças

Shih Tzu
Jack Russell Terrier
Schnauzer
Buldogue Inglês
Akita
Chow Chow
Sharpei
Yorkshire Terrier
Cane Corso
Chihuahua
Pequinês
Border Collie
Malamute do Alasca
Beagle
Golden Retriever
Dogue Alemão
Basset Hound
Maltês
Lulu da Pomerânia
Buldogue Campeiro
Pastor Belga
Boiadeiro de Berna
Buldogue Francês
Fox Paulistinha (Terrier Brasileiro)
West Highland White Terrier

PET SHOP