Guia de Adestramento de Cães Passo a Passo

Adestramento Positivo – Adotando o Adestramento de Reforço Positivo

Adestramento Positivo

Assim como na arte da educação, quando se trata de adestramento de cães, existem diferentes metodologias para se escolher. De um lado adestramento que se baseia em punição, de outro, adestramento baseado em recompensa, também conhecido como adestramento positivo ou adestramento de reforço positivo. Neste artigo você irá aprender a diferença entre essas duas opções, entender porque o adestramento positivo é o melhor caminho a seguir com o seu cão bem como obter algumas dicas de como aplicá-lo corretamente.

Punição ou Recompensa? Uma Decisão Fácil.

Feche seus olhos e se imagine viajando de volta para o tempo em que você era uma criança na escola. Você está na fila no seu primeiro dia de aula e estão encaminhando cada criança para sua nova professora. De um lado, uma professora conhecida por ser dura com as crianças quando fazem algo errado ensinando-as por táticas de intimidação, de outro lado uma professora conhecida por entender os seus estudantes, que oferece oportunidades para aprender e generosamente recompensa seus alunos por comportamentos desejados. Com qual professora você gostaria de ficar? Muito provavelmente a segunda. Adivinha o quê? O seu cão também.

Treinamento baseado em recompensa, também conhecido como reforço positivo, consiste em reforçar os comportamentos desejados. De volta ao exemplo da escola, como você se sentiria se cada vez que você fizesse um bom trabalho sua professora lhe desse uma figurinha super legal. E com uma professora legal dessas, muito provavelmente anos depois, quando tivesse concluído a escola, poderia até sentir saudades. Reforço positivo tem um efeito similar nos cães. Na verdade, não apenas em cães. Golfinhos, baleias, morsas e leões marinhos se beneficiam desse treinamento também!

A Ciência por Trás do Treinamento de Reforço Positivo

B. F. Skinner, um psicólogo norte-americano, é conhecido como o pai do condicionamento operante. Ele demonstrou como o reforço positivo trabalha colocando um rato faminto numa caixa que continha uma alavanca. Quando o rato se movia pela caixa, em algum ponto acidentalmente batia na alavanca que então liberava comida. Depois de um tempo, os ratos aprenderam que a ação de pressionar a alavanca liberava comida, então a ação de pressionar a alavanca foi repetida mais e mais vezes. Skinner sustentou que “Comportamento que é reforçado tende a ser repetido, comportamento que não é reforçado tende a se extinguir”.

Em adestramento, um exemplo comum de reforço positivo é dar ao seu cão um biscoito quando ele senta. O biscoito informa o seu cão “sim, você acertou!” Porque muitos cães gostam de biscoitos, o comportamento de sentar irá ser repetir com o tempo. Por outro lado, esta não é uma regra geral e por isso é importante aprender como aplicar o reforço positivo corretamente.

Cinco Dicas sobre Como Aplicar o Reforço Positivo

Para que funcione, o reforço positivo precisa ser aplicado corretamente. Em muitos casos, quando este método não parece funcionar, é provável que erros estejam sendo cometidos. Se você estiver treinando sozinho e não está vendo progresso, um bom lugar para começar é ter um adestrador especialista em reforço positivo para ensiná-lo. Lembre-se que adestramento é mais uma questão de treinar os donos que os cães. A seguir alguns dos erros mais comuns que donos de cães cometem ao tentar aplicar o reforço positivo.

1. Reforço é uma consequência que fortalece o comportamento do cão

Se você der um biscoito para o seu cão quando ele sentar, mas o comportamento de sentar não está aumentando, você precisará primeiramente avaliar se você está fazendo algo errado, se o local que você está treinando causa muitas distrações ou se o biscoito está realmente reforçando. Seu cão pode ter dor de dente e o biscoito está causando dor ou o seu cão pode estar com muito medo para se sentir confortável o suficiente para comer. Também, considere que se o seu cão recém fez uma refeição, o biscoito pode não ter um apelo tão grande como quando ele está com fome. Como você se sentiria se você tivesse recém terminado uma farta refeição e no seu retorno para casa encontrasse na caixa postal um agradecimento do seu chefe por um trabalho bem feito na forma de um vale-presente para uma refeição gratuita para o seu restaurante favorito com vencimento para a mesma noite?

2. Reforço é subjetivo

O que pode reforçar para um cão, não necessariamente reforça para outro cão. Da mesma forma que algumas pessoas preferem flores como recompensa enquanto outras preferem uma caixa de chocolates ou dinheiro, os cães também têm suas preferências pessoais. Alguns cães farão qualquer coisa por brinquedos, outros podem preferir carinho, mas a grande maioria gosta mesmo é de comida. Então quando estiver dando recompensa, esteja certo de escolher algo que o seu cão gosta. Só porque o cão do seu vizinho daria cambalhotas para brincar de cabo de guerra, não significa que o seu cão também o fará. Se você não tem certeza o que o seu cão ama, experimente e você poderá sempre avaliar. Se o seu cão parece motivado e o comportamento está aumentando é provável que você tenha acertado.

3. As preferências de reforço podem variar de acordo com o contexto

Só porque o seu cão gosta de alguma coisa não significa que gostará em todas as circunstâncias. Sim, o seu cão pode amar receber um carinho por sentar quando ele estiver em casa sozinho o dia todo apenas esperando por você, mas pode se importar menos com isso quando estiver perto de outros cães e tudo o que quer é se divertir! Nesses casos, a maior recompensa para sentar pode ser liberar ele para brincar com seus amigos. Assim como você ama uma massagem no pé depois de ficar em pé o dia todo, não significa que gostaria de uma quando estiver jantando fora!

4. O reforço deve ocorrer imediatamente

Se você estiver treinando o seu cão para sentar, deve garantir que recompense o seu cão imediatamente. Estamos falando aqui de frações de segundo, no exato momento que perceber o traseiro do cão fazer contato com o chão. Se demorar a recompensar o seu cão e der o biscoito quando ele levantar de volta, estará recompensando-o por se levantar. No mundo do adestramento têm um ditado “você recebe o que você recompensa” então preste bem atenção qual a ação que você está recompensando! Aqui têm uma dica se você quer melhorar nisso: aprenda a arte do adestramento com clicker para marcar os comportamentos desejados.

5. Observe o que você reforça!

É importante observar que cães estão constantemente aprendendo e isto se aplica a ambos comportamentos bons e errados. Muitos comportamentos indesejados são muitas vezes inadvertidamente reforçados por seus donos sem perceber. Se o seu cão late para poder sair e você imediatamente abre a porta, adivinhou, você está recompensando o latido. Se o seu cão pula em você para cumprimentá-lo quando você chega em casa e você faz carinho, conversa com ele enquanto está de pé você acabou de recompensar o pulo. Por fim, mas não menos importante, considere que para um cão que ficou em casa o dia todo mesmo atenção negativa pode ser uma recompensa. Se, por exemplo, você senta no sofá e o seu cachorro subestimulado late para você, repreendê-lo ou empurrá-lo para longe pode estar reforçando, causando esta atitude a se repetir.

Em resumo

O adestramento de reforço positivo pavimenta o caminho em direção da confiança, cooperação e cria um vínculo maior entre o cão e o seu dono. Como os cães estão ansiosos por aprender e o processo de treinamento é divertido, os cães tornam-se participantes interessados numa atividade prazerosa e a relação entre cão e dono é enriquecida em vez de prejudicada. Como visto, colher os benefícios do reforço positivo em última instância proporciona uma situação de ganha-ganha para todos!

Receba dicas sobre cães por e-mail!
Inscreva-se e ainda receba o artigo bônus
10 Coisas Todo Dono de Cão Deve Saber